Trocar o filtro do ar-condicionado do carro pode ajudar a reduzir problemas respiratórios

Com a chegada dos meses mais frios, aumenta a preocupação das pessoas com os problemas respiratórios. Para evitá-los, porém, a maioria das pessoas cuida da casa e do ambiente de trabalho, mas não lembram das muitas horas passadas nos carros, especialmente nas grandes cidades, onde o trânsito é mais intenso. Diante disso, a micronAir alerta para a troca do filtro do ar-condicionado dos carros devido ao maior uso do recurso de aquecimento durante os dias mais frios.

"É mais frequente que as pessoas se lembrem de trocar os filtros de cabine do carro no verão, com uso mais intenso do equipamento de ar-condicionado. Mas, durante o inverno, os filtros continuam trabalhando no sistema de climatização dos veículos, reciclagem e filtragem do ar quente ou até mesmo na simples busca do ar externo para ventilação interna e, neste processo, acumulam microrganismos que podem gerar riscos à saúde", alerta Carlos Matos, gerente de mercado de filtros automotivos para a América do Sul da Freudenberg Filtration Technologies, dona da marca micronAir, líder mundial na fabricação de filtros de ar de cabine de veículos.

"Muitas vezes, os microrganismos estão associados a problemas respiratórios que poderiam ser evitados ou reduzidos, com a substituição do filtro do ar-condicionado do carro", observa também o responsável pelo aftermarket da micronAir, Luciano Ponzio. Ele explica que o ar quente gerado pelo sistema de aquecimento do veículo, em conjunto com a umidade do evaporador, pode tornar os filtros um lugar propício à proliferação de microrganismos, como fungos e bactérias. "Por isso, os proprietários de carros equipados com ar-condicionado devem estar sempre atentos ao prazo de validade do filtro", alerta Ponzio.