Moody’s atribui a classificação Baa1 para a Freudenberg

São Paulo, 11 de Junho, 2013 – O Serviço de Investidores da Moody’s atribuiu uma classificação Baa1 para a Freudenberg SE. Ao mesmo tempo, a agência de classificação confirmou a classificação Baa1 emitida para a Freudenberg & Co. O Grupo Freudenberg agora possui uma classificação de crédito de “Grau de Investimento”. A perspectiva é estável. O Grupo Freudenberg tomou a decisão de transformar sua estrutura corporativa em 2012. A Freudenberg & Co. Kommanditgesellschaft permaneceu como a matriz estratégica do Grupo. Sob a matriz, as operações de negócios foram agrupadas na holding Freudenberg SE. A Freudenberg & Co. KG. é classificada pela Moodys desde 2001.

Ao atribuir uma classificação Baa1 para ambas as empresas, a Moodys destaca a diversificação ampla e o portfólio equilibrado do Grupo Freudenberg. A presença global e liderança de mercado da empresa em nichos de mercado, gestão pró-ativa de portfólio, bem como sua boa administração, foram decisivos para a classificação positiva. “Mais uma vez, nosso princípio de pró-atividade nestes mercados onde podemos alcançar a primeira ou segunda posição em médio prazo valeu a pena”, explicou o Dr. Mohsen Sohi, o porta-voz do Board da Freudenberg SE e da Freudenberg & Co. KG.

Juntamente com os aspectos qualitativos, a Moodys também classificou os índices quantitativos do Grupo Freudenberg como positivos. A agência de classificação considerou o resultado financeiro positivo do Grupo, a alta liquidez e o elevado nível de capital próprio. Além disso, a Moodys aprovou a contribuição feita pelos 320 descendentes dos fundadores da empresa. Os empréstimos dos acionistas provaram historicamente ser uma fonte estável e confiável de financiamento para apoiar o desenvolvimento do Grupo, mesmo durante períodos de dificuldade econômica, o que está também refletido na classificação, juntamente com a aderência do Board da Freudenberg SE com relação a uma política financeira conservadora.

 

Freudenberg, um grupo forte também no Brasil
O Grupo Freudenberg possui seis empresas no País: Chem-Trend, EagleBurgmann, Freudenberg Não Tecidos, Freudenberg-NOK, Klüber Lubrication e SurTec; e, desde 2012, atua também por meio da joint venture TrelleborgVibracoustic. Estas companhias atuam nos segmentos de não tecidos, vedação, lubrificantes especiais, agentes desmoldantes, controle de vibração, filtração, dentre outros.

No Brasil, estas empresas chegaram ao final de 2012 com um total de 1.516 colaboradores, um aumento de 11% sobre o ano anterior, quando registrou 1.361 colaboradores. Juntas, as vendas das companhias do Grupo Freudenberg atingiram no Brasil um faturamento líquido de R$ 619 milhões, um valor 8,59% superior aos 570 milhões registrados em 2011.