Freudenberg completa 165 anos

O Grupo Freudenberg comemora 165 anos de atuação este ano. Esta longa trajetória de sucesso teve início em 1849, quando o alemão Carl Johann Freudenberg fundou um curtume em Weinheim (Alemanha). Hoje, a organização ainda é de capital familiar e pertence a cerca de 320 herdeiros do fundador, atuando com presença global e negócios diversificados.

Atualmente, com faturamento anual acima de € 6,62 bilhões (2013), as empresas do Grupo Freudenberg estão presentes em 60 países, onde empregam cerca de 40 mil colaboradores. Em suas empresas, que atuam em diversos segmentos, a inovação é uma constante e tem conduzido a organização para um grande progresso no século 21.

No Brasil, o Grupo Freudenberg está presente com seis empresas que atuam nos setores de não tecidos, lubrificantes especiais, agentes desmoldantes, vedações, filtração, produtos químicos para tratamento de superfície, tecnologias de controle de vibrações, entre outros. Em 2013 o faturamento no Brasil foi de R$ 692 milhões, um volume superior em 10,4% sobre o ano anterior, com um quadro de cerca de 1.500 colaboradores. Para o futuro, a perspectiva em âmbito local é manter o crescimento. "Para o Grupo, é essencial elevar a representatividade local no faturamento mundial e nossa perspectiva é continuar a crescer acima do PIB", afirma o Representante Regional do Grupo Freudenberg na América do Sul, Juan Carlos Borchardt.

 

Uma história marcada pela inovação

Em pouco tempo, o couro de alta qualidade da Freudenberg ficou bastante conhecido e ganhou os mercados dos Estados Unidos, Grã-Bretanha e França. Depois, a empresa construiu também relações comerciais com Brasil e Rússia e, em 1874, já era o maior curtume da Alemanha.

No início do século 20, Hermann Ernst Freudenberg, filho do fundador, desenvolveu um método novo de curtimento de couro utilizando o cromo. A novidade reduziu o tempo de curtimento de meses para apenas algumas semanas, além de gerar um produto à prova de água, com superfície lisa e de manutenção mais fácil. Com isso, a Freudendeberg se firmou como um dos maiores fabricantes de couro na Europa naquela época.

Em 1929, visando garantir o sucesso, iniciaram a diversificação do portfólio. O primeiro passo foi introduzir selos de vedação de couro já produzidos na América.

Seguindo esta linha, em 1932, os especialistas da Freundeberg desenvolveram uma nova tecnologia de vedação: o Simmerring, tornando o Grupo um dos principais fornecedores do setor de máquinas e da indústria automotiva.

Ainda na década de 30, os investimentos em inovação continuaram e a empresa substituiu o couro por borracha nos selos de vedação e  posteriormente, estes foram aplicados no revestimento de têxteis e, na década de 50, em panos de limpeza e filtros. Nos anos 50 e 60, beneficiada pelo boom econômico, a empresa iniciou a expansão de suas atividades internacionalmente e até hoje continua a crescer.