EagleBurgmann supera projeção de crescimento na América do Sul

São Paulo, 10 de janeiro de 2013. A EagleBurgmann do Brasil, que atende os mercados nacional e sul-americano, anuncia um crescimento superior a 30% em 2012 (em comparação com o ano anterior). A informação é de Benito De Domenico Jr., diretor geral da companhia no Brasil. Ele lembra se tratar de um resultado muito superior à projeção de 15% divulgada no início de 2012; ainda segundo ele, em comparação com 2010, a alta registrada foi maior que 10%. A empresa, que pertence ao Grupo Freudenberg, de origem alemã, é especializada no desenvolvimento de soluções de vedação para equipamentos rotativos, com produção e fornecimento de selos mecânicos e acessórios para setores como petróleo e gás, químico, petroquímico, refinaria, energia, papel e celulose, farmacêutico, tratamento de água e mineração.

De Domenico atribui o resultado positivo a alguns fatores principais. Entre eles, cita o fornecimento de produtos de alta tecnologia para indústrias estratégicas, como a de petróleo e gás e mineração, além de uma série de medidas, como a reestruturação de algumas unidades e centros de serviços e investimentos em treinamento da equipe, que contribuíram para tornar a companhia ainda mais eficiente, principalmente no atendimento aos mercados do Brasil, Argentina e Chile. Além disso, cita a recuperação do mercado “End user” (“usuários finais”) que, no caso da empresa, é representado por clientes como: Petrobras, Braskem, TAG, YPF, Codelco, CMPC, entre outras.

No setor de petróleo e gás, especificamente, onde a EagleBurgmann tem forte atuação, De Domenico lembra o fato de a empresa ter participado de diversos projetos da Petrobras, como a RNEST e Comperj; nestes casos, ela atua por meio dos OEMs (Original Equipment Manufacturer). “Em 2012, fechamos projetos novos e temos boas perspectivas para 2013, pois há outros em prospecção”, conta o executivo.

 

Expansão na Argentina e no Chile
A EagleBurgmann do Brasil possui subsidiárias na Argentina e Chile e a atuação da empresa nestes países também contribuiu para os resultados positivos em 2012. No caso da filial da Argentina, instalada ao início de 2008 em San Martín, nas imediações de Buenos Aires, trata-se de uma unidade que dispõe de máquinas e equipamentos modernos para reparo em produtos e produção de algumas peças em caráter emergencial. Na unidade chilena, inaugurada em 2011 em Santiago, a empresa instalou uma estrutura completa para atendimento às demandas de vedação de várias indústrias e para ampliar a sua participação nos mercados chileno, boliviano e peruano.

Sobre os principais produtos da empresa nestes países, De Domenico cita as juntas de expansão de tecidos e metálicas e gaxetas para uso em equipamentos utilizados em indústrias de mineração, refinarias e de papel e celulose. Sobre o foco em soluções, ele conta que a empresa fornece nestes países selos a gás para compressores, painéis de selagem e acessórios especiais.