Chem-Trend atua em conformidade com os novos padrões de Saúde, Segurança e Ambiente (HSE) para o setor de compósitos

O aumento constante com as preocupações sobre Saúde, Segurança e Ambiente (em inglês HSE – Health, Safety and the Environment) está no topo da lista não somente para ambientalistas, órgãos reguladores e a comunidade, mas também para fabricantes de todos os tipos de indústria e seus colaboradores. Agências governamentais em todo o globo estão dedicando recursos para restringir os padrões de emissão de poluentes nocivos ao ar (HAPs – Hazardous Air Pollutants), gases estufa (GHGs – Greenhouse Gases) e emissões de compostos orgânicos voláteis (VOC – Volatile Organic Compounds). Como resultado, os fabricantes de compósitos estão adotando esforços ainda maiores para criar processos cada vez mais limpos.

Com uma iniciativa adotada desde 2004, a Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA – Environmental Protection Agency), por meio do NESHAP (National Emission Standards for Hazardous Air Pollutants), focou em reduzir as emissões tóxicas de ar que são suspeitas ou comprovadas de causarem câncer, outros riscos sérios à saúde ou efeitos negativos para o meio ambiente. Para reduzir a emissão de agentes poluentes perigosos ao ar, a iniciativa se ampliará em 2017, com requisitos mais rígidos de controle.

A Chem-Trend, empresa do Grupo Freudenberg, líder global no desenvolvimento e produção de agentes desmoldantes especiais e especialidades químicas para processos industriais, já atua em conformidade com os novos padrões. A empresa anunciou, no final de 2016, a sua nova série de primers à base de água. Especialmente desenvolvido para as marcas Chemlease® e Zyvax®, a novidade representa a criação de um sistema completo de soluções de desmoldagem para fabricantes de compósitos – um pioneirismo na indústria.

Já disponível no Brasil, a nova linha amplia e traz maior robustez ao portfólio de produtos à base de água da Chem-Trend que é composta pelos desmoldantes Chemlease® e Zyvax®, além de limpadores, seladores e primer. Para os fabricantes da indústria de compósitos, os produtos oferecem maior otimização de superfícies de ferramentas novas e usadas. A aplicação facilita no processo de desmoldagem, aumenta a vida útil da ferramenta e reduz os impactos de saúde, segurança e ambiente.

Além disso, também disponibiliza a Linha Chemlease® EZ que oferece aos fabricantes de compósitos maiores benefícios em relação à saúde, segurança e ambiente. Todos os produtos da linha - seladores, agentes desmoldantes semi-permanentes e limpadores - cumprem com as mais exigentes normas relacionadas aos poluentes nocivos ao ar (livres de solventes HAPs). Tais opções apresentam um desempenho tão bom quanto, se não melhor, do que aquelas baseadas em solvente atualmente disponíveis no mercado.

"Iniciativas como estas representam grande redução na quantidade de emissões, o que poderá fazer a diferença para centenas de milhares de pessoas. Por causa de descobertas como esta, os fabricantes de compósitos podem aprimorar as condições de trabalho, ao mesmo tempo em que reduzem os impactos ambientais, em uma mudança que a maioria das empresas já está adotando", comenta Amanda Pugh, diretora de desenvolvimento de negócios de borracha e compósitos da Chem-Trend.

 

Benefícios para o negócio e os colaboradores

Além do impacto negativo nos negócios, os fabricantes de compósitos também consideram fatores de risco para os empregados quando as condições de trabalho são inadequadas e inaceitáveis. Em vez de adotar estratégias reativas, muitos fabricantes atualmente estão realizando o monitoramento das regras de compliance, a fim de reduzir ou mesmo eliminar o uso de substâncias químicas agressivas em seus processos, para estabelecer melhores padrões de HSE.

"O forte senso de responsabilidade que temos para com as comunidades em que atuamos faz com que a Chem-Trend desenvolva cada vez mais produtos com a máxima consciência ambiental. Nesse sentido, a série Chemlease® EZ fornece uma solução proativa para melhorar a qualidade de vida de todos os envolvidos no processo produtivo", analisa Pugh.

Neste ano, o monitoramento do cumprimento às regras de compliance relacionadas aos poluentes nocivos ao ar deve se expandir ainda em escala global. Com maior fiscalização, os esforços por parte das organizações devem ser ampliados em todo o mundo, o que torna as estratégias proativas de controle ainda mais importantes. E os fabricantes de compósitos devem focar na criação de ambientes de trabalho mais seguros e limpos, ao mesmo tempo em que buscam reduzir os impactos ambientais.

"A chave para continuar construindo práticas consistentes, como as citadas acima, é dedicar um time específico para a pesquisa de compliance, considerando todas as opções de produtos disponíveis e a implementação de um plano de ação o mais rápido possível", finaliza ela.